segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Inicia hoje, em todo o Brasil, a 10ª Primavera dos Museus



De 19 a 25 de setembro, acontece a 10ª Primavera dos Museus, temporada cultural promovida pelos museus brasileiros em parceria com o Ibram. Nessa edição, 753 museus de todo o país oferecem ao público mais de 2.000 atividades especiais, como visitas mediadas, palestras, oficinas, exibição de filmes e muito mais!

Pelo 3º ano consecutivo a Casa de Leitura Lya Botelho participa desse importante evento cultural de âmbito nacional e, desta vez, com a exposição POR MARES NUNCA DANTES NAVEGADOS - O SÉCULO DAS GRANDES NAVEGAÇÕES que, em suas 6 primeiras semanas foi vista por mais de 4.500 visitantes.

A exposição segue até o dia 20 de dezembro de 2016, graças ao patrocínio da ENERGISA e ao apoio institucional da FOJB-Fundação Ormeo Junqueira Botelho, da Secretaria de Educação do Município e da SRE-Superintendência Regional de Ensino de Leopoldina.

#exposicao #historia #expo #energisa #fojb #leopoldina #mg #casadeleitura#casadeleituralyabotelho #navegacao #caravela #marcopolo #navegadores#rotadaseda #semanamuseus2016 #primaveradosmuseus2016 #cultura

segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Como se "constrói" um herói?


Há quase quatro décadas Joseph Campbell (26 de Março de 1904 - 30 de outubro de 1987), mesmo antes de ter refinado suas ideias duradouras sobre como encontrar sua felicidade e viver de maneira plena , o lendário mitólogo escreveu "O Herói de Mil Faces", sua teoria seminal delineando o caminho comum do herói arquetípico através de uma riqueza de mitos antigos coletados em todo o mundo . O, assim chamado, modelo monomito de Campbell já foi aplicado a tudo, desde a vida de grandes artistas de pop - cultura clássicos como aos personagens do filme Star Wars.

Este curta de animação do site TED-Ed apresenta uma síntese da estrutura fundamental de Campbell para as onze etapas da saga do herói - a partir do chamado da aventura, passando pela crise, até o momento de retorno e de transformação - que ilustra sua força atemporal ao trazer uma luz no funcionamento interior de muitos dos nossos mitos modernos e heróis da vida real, pelos quais temos verdadeira adoração.

Mas, talvez a mais importante e permanente lição extraída do livro de Campbell não seja exatamente a mecânica da jornada do herói, mas o verdadeiro propósito dos mitos e heróis na vida humana.
Ele assim escreve no capítulo de abertura do seu livro:

"Sempre foi a função primordial da mitologia e dos ritos oferecerem símbolos que propiciem um avanço ao espírito humano em contrapartida àqueles que o limitam. De fato, pode ser que a alta incidência de indivíduos neuróticos entre nós resultem do declínio dessa ajuda espiritual."


Este texto foi copiado e traduzido do site "Brain Pickings",

sábado, 10 de setembro de 2016

A aventura das Grandes Navegações


Neste sábado, 10 de setembro, estamos reiterando nosso convite para que todos venham conhecer a exposição POR MARES NUNCA DANTES NAVEGADOS - O SÉCULO DAS GRANDES NAVEGAÇÕES aqui na Casa de Leitura Lya Botelho, em Leopoldina-MG, patrocinada pela ENERGISA e com o Apoio Institucional da FOJB-Fundação Ormeo Junqueira Botelho, Secretaria de Educação de Leopoldina e SRE-Superintendência Regional de Ensino de Leopoldina.

O roteiro sugerido da visitação se inicia pelo hall de entrada da Casa de Leitura que busca ambientar o visitante ao clima sombrio do interior das caravelas. Essas embarcações que começavam a ser construídas e que tinham a capacidade de transportar até 120 homens em seus 20 metros de comprimento, eram inteiramente feitas em madeira, com os recursos técnicos disponíveis na época. Muitas não resistiam às longas viagens, ao movimento dos oceanos, aos parcos conhecimentos de navegação e, até mesmo, de construção náutica.

A, assim chamada, Escola de Sagres, reunia artesãos, construtores, cientistas, experientes capitães de embarcações marítimas e cartógrafos, todos em busca da melhor forma de construção desses barcos movidos a vento, da invenção de novos aparelhos de orientação e medição e do preparo "acadêmico" dos seus futuros responsáveis pelas viagens, para que as navegações fossem mais seguras e proveitosas. Afinal, além das vidas dos marinheiros, havia também a questão das cargas, uma das principais preocupações com a segurança das caravelas.

Na busca de caminhos mais seguros que os terrestres para comercializar com o oriente, esses marinheiros, pilotos e capitães designados por reis e banqueiros, lançavam-se aos desconhecidos oceanos, que ainda eram conhecidos como "mar tenebroso" para a aventura de uma vida inteira. Sabiam que grandes eram as chances de nunca mais retornarem, de morrerem afogados ou pelas mãos de povos bárbaros, estranhos, ainda desconhecidos. Ousaram enfrentar as "grandes águas", alguns em busca de liberdade, outros buscando a expiação de culpas e muitos pela possibilidade de ganhos materiais.

Mas, independente das verdadeiras intenções de cada um desses homens que arriscaram suas vidas no busca de caminhos para países distantes e exóticos, o grande mérito que todos compartilharam foi o de tornar o Mundo menor, reduzir as distâncias, criar o intercâmbio de culturas, de informações e de produtos, permitir que novas terras, novos continentes fossem encontrados, que a ciência progredisse e, especialmente a Europa, saísse das trevas da Idade Média e adentrasse, por via marítima, na Idade Moderna.

A exposição POR MARES NUNCA DANTES NAVEGADOS - O SÉCULO DAS GRANDES NAVEGAÇÕES permanece aberta, até o dia 20 de dezembro, de segunda a sexta, das 8 às 11:30 horas e das 13 às 17:00 horas. Aos sábados, das 8 às 11:30 horas.

+Energisa +Casa de Leitura Lya Maria Műller Botelho #casadeleitura #casadeleituralyabotelho #fojb #energisa #expo #exposicao #navegacao #navegadores #navegantes #descobrimentos #caravela #idademedia #idademoderna #rotamaritima #rotadaseda #marcopolo #educacao #cultura #cenografia #nau #mar #oceano #martenebroso #comercio #semanamuseus2016 #pormaresnuncadantesnavegados, #leopoldina #mg #historia


sexta-feira, 9 de setembro de 2016

Rota da Seda: os caminhos de Marco Polo





Num espaço reservado dentro da exposição POR MARES NUNCA DANTES NAVEGADOS - O SÉCULO DAS GRANDES NAVEGAÇÕES que a Casa de Leitura Lya Botelho, em Leopoldina-MG, apresenta de 8 de agosto a 20 de dezembro de 2016, o visitante poderá conhecer um pouco mais sobre o veneziano Marco Polo que, aproximadamente 200 anos antes de começarem as descobertas de rotas marítimas para o Oriente, também trilhou a famosa Rota da Seda, comerciante que era, em busca de "especiarias" de todos os tipos para satisfazer aos desejos e necessidades dos europeus.

Patrocínio: ENERGISA

Apoio: FOJB-Fundação Ormeo Junqueira Botelho

Apoio Institucional: Secretaria de Educação de Leopoldina e SRE-Superintedência Regional de Ensino de Leopoldina



#semanamuseus2016 #energisa #fojb #casadeleitura #casadeleituralyabotelho #expo #exposicao #pormaresnuncadantesnavegados #caravela #rotamaritima #rotadaseda #marcopolo #especiarias #leopoldina #mg #descobrimentos #oriente

sábado, 3 de setembro de 2016

Um corredor cultural em Leopoldina


As manhãs de sábado parecem ideais para muitas famílias que podem sair para um passeio pela cidade, aproveitarem a nossa Praça Félix Martins com suas alamedas e espaços para a prática de exercícios de condicionamento físico e brinquedos infantis. Ir à praça voltou a ser uma atividade extremamente agradável, seja pelo visual recuperado da mesma, seja pelo wi-fi liberado ou mesmo para encontrar amigos ou curtir algum evento que lá se realize.
Sendo um dos mais importantes marcos de referência da cidade, a Praça Félix Martins também é o início de um "corredor cultural", um roteiro onde se localizam 3 dos mais importantes espaços culturais de Leopoldina: o Museu Espaço dos Anjos, o Centro Cultural Mauro de Almeida e a Casa de Leitura Lya Botelho.

Nesta postagem eu gostaria de propor que todos nós, residentes ou não nesta cidade, visitássemos esses locais. São espaços importantíssimos, especiais, que poucos municípios, além das Capitais e dos grandes centros, possuem e que podem ser visitados sem nenhum custo.
O conhecimento é o que nos faz livres, autônomos, capazes de recusarmos ser manipulados. É o conhecimento da história da nossa cidade, dos cidadãos ilustres que colaboraram na construção da mesma ou aqueles, mais humildes, com menos visibilidade, praticamente anônimos que a erigiram e ajudaram a torná-la o que ela é.
É inadmissível, longe das grandes metrópoles, ainda ouvirmos pessoas dizerem que não conhecem 1, 2 ou todos esses espaços por "falta de tempo". Ou mesmo queixarem que a cidade "não oferece cultura" se elas próprias não prestigiam os eventos culturais aqui criados ou apresentados. É o público o principal responsável pela existência de  museus, exposições, feiras de artesanato, apresentações teatrais, shows musicais, bibliotecas, salas de cinema, festivais de toda a espécie, etc.

Conhecermos nossa cidade é nossa obrigação, não é favor algum que prestamos a ninguém, a não ser a nós mesmos. Sabermos o que existe, termos consciência da nossa história, geografia, genealogia, nossos recursos, nossas possibilidade e dos equipamentos que nos capacitam, é fundamental para que possamos nos tornar pessoas conscientes, interessantes, ativas, despertas, capazes de articular opiniões próprias, embasadas em nossa experiência pessoal e no aprendizado adquirido ao longo do tempo.

O Centro Cultural Mauro de Almeida, a Casa de Leitura Lya Botelho e o Museu Augusto dos Anjos acabaram formando um "Corredor Cultural" que atravessa o Centro de Leopoldina e possibilita tanto ao cidadão quanto ao visitante, a facilidade de conhecerem mais sobre a nossa história caminhando, numa única linha ou direção.Então, que tal começarmos visitando esses 3 espaços onde aspectos importantes da nossa cultura local e conhecimento geral estão expostos:

 Construção típica dos edifícios públicos das primeiras décadas do século passado, o antigo Fórum municipal de Leopoldina abriga hoje a Secretaria de Cultura do Município, a Biblioteca Pública Municipal, os Memoriais da Cidade e do Esporte, além de uma ampla área de destinada a exposições temporárias.
Conseguir que esse edifício fosse destinado para a Cultura foi um exercício de determinação e paciência para diversos grupos, entre artistas, professores e alunos, desportistas, políticos, pessoas de algum modo ligadas à Cultura e à Educação. Sensibilizado, o Poder Público houve por bem transformar esse valioso espaço vizinho à Praça Félix Martins num Centro multi-Cultural, preparado para contribuir com diversas demandas e públicos.
O Centro Cultural Mauro de Almeida é um espaço que, até a presente data da redação deste texto, está parcialmente inaugurado, faltando o andar superior, com um excelente e bem montado auditório, salas de estudo, de reunião e uma organizada Gibiteca. Mas é no andar inferior que o visitante percebe a importância desse espaço dentro do cenário cultural de Leopoldina. Além da Biblioteca Pública Municipal, que abriga ampla coleção de livros e revistas, temos uma área inteiramente dedicada à literatura infantil e aos pequenos leitores. Funciona, também, no térreo, a Secretaria de Cultura do município. com atendimento diário ao público. Mas o que mais chama a atenção do visitante são as duas áreas dedicadas aos "memoriais", o do Esporte e o da Cidade.

Se o Memorial do Esporte reúne a memória dos clubes, jogadores, desportistas de todas as modalidades, exibindo fotos, textos e troféus, além de um dos exemplares da Tocha Olímpica que percorreu as ruas de Leopoldina quando da chegada do fogo olímpico ao Brasil, o memorial da Cidade trabalha com o lúdico e o símbolo, para contar de forma muito compacta e pontual, a história local. São cenários que conduzem o visitante por entre a selva da Zona da Mata, passando pela colonização, a cultura do café, do laticínio, os imigrantes, a importância da estrada de ferro e a razão de Leopoldina ter sido brindada com o apelido de "Atenas da Zona da Mata".

A não mais que 30 metros de distância está localizada a Casa de Leitura Lya Botelho, um dos "braços" da FOJB-Fundação Ormeo Junqueira Botelho. Casa construída pelo Dr. Ormeo Junqueira Botelho no final dos anos 1940 e mantida pela ENERGISA, é, há 7 anos, um importante centro cultural em atuação na Zona da Mata mineira. Abrigando uma biblioteca infanto-juvenil, o Memorial dedicado à pessoa do Dr. Ormeo J. Botelho, amplos e bem cuidados jardins, a Casa de Leitura produz, todos os anos, 2 exposições temáticas cujo público alvo são os alunos da rede escolar, pública e privada da nossa cidade.
No momento da escrita deste texto, a Casa de Leitura exibe a exposição POR MARES NUNCA DANTES NAVEGADOS - O SÉCULO DAS GRANDES NAVEGAÇÕES em seu andar térreo, exposição essa inteiramente concebida e executada com materiais, mão de obra e serviços leopoldinenses, numa proposta de estímulo à Economia Criativa local.

Descendo a R. Barão de Cotegipe em direção à Prefeitura local, chega-se ao Museu Espaço dos Anjos, casa que serviu de residência ao poeta pernambucano Augusto dos Anjos e sua família quando da sua vinda para atuar como diretor escolar em Leopoldina. Se o seu corpo se encontra sepultado no cemitério local, é nessa casa-museu que encontramos documentos e lembranças da sua breve existência física em nossa cidade.
O espaço, que anteriormente era o atelier-escola para o artista plástico Luiz Raphael Domingues Rosa, abriga, também em sua área externa, um espaço coberto onde acontecem, durante todo o ano, eventos, apresentações musicais e teatrais, saraus literários, etc.

Quando dizemos que nossa cidade vive um momento excepcional em termos da criação de espaços culturais e áreas de lazer ativas o fazemos comparando com outros centros com as mesmas características, inclusive populacional. A criação e/ou revitalização desses espaços visa, antes de mais nada, o bem estar da comunidade, o complemento ao ensino formal, o despertar de uma consciência de cidadania baseada em valores próprios, o cuidado com o patrimônio comum, o conhecimento da história local e o necessário resgate da auto estima dos cidadãos pelo seu local de origem e de moradia.
Repetindo: importante é, sem dúvida, que a população também dê a sua parcela de contribuição ao frequentar os eventos culturais e educativos produzidos e programados nesses centros, criando assim uma crescente e fluída oferta de atividades direcionadas ao mais amplo interesse popular, atendendo às diversas expectativas e interesses da população, estimulando o artista local e o muito necessário desenvolvimento de uma Economia Criativa leopoldinense.

Serviço:
Museu Espaço dos Anjos: Rua Barão de Cotegipe, 386
Centro Cultural Mauro de Almeida: Praça Félix Martins
Casa de Leitura Lya Botelho: R. José Peres, 4



#leopoldina #mg #cultura #educacao #centrocultural #pracafelixmartins #praca #museu #casadeleitura #casadeleituralyabotelho #zonadamata #economiacriativa #corredorcultural #espacodosanjos #biblioteca #gibiteca +casadeleitura lya maria müller botelho #energisa #fojb

quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Visitantes do mês de Agosto-2016


Dia 31 costuma ser a ocasião em que se faz uma avaliação das atividades ocorridas durante o mês e, no caso deste finzinho de Agosto só podemos agradecer, e muito, a receptividade que nossa exposição POR MARES NUNCA DANTES NAVEGADOS - O SÉCULO DAS GRANDES NAVEGAÇÕES, teve entre os nossos munícipes e as escolas da nossa cidade e região.

Foram mais de 3.300 pessoas, entre alunos e visitantes espontâneos, que passaram pela Casa de Leitura Lya Botelho em apenas 19 dias de funcionamento da mesma, desde a abertura da exposição no dia 8 de agosto. É sem dúvida alguma uma expressiva demonstração da importância de uma ação como essa no seio da comunidade, lembrando que esse número de visitantes corresponde 6,5% da população de Leopoldina. E isso apenas nas primeiras 3 semanas de funcionamento da exposição!

É, então, o momento de novamente agradecermos a todos que a tornaram possível: a empresa ENERGISA, nossa Patrocinadora Oficial, cujos recursos viabilizam a existência de um espaço da importância da Casa de Leitura Lya Botelho e suas muitas ações em prol da Cultura; à FOJB-Fundação Ormeo Junqueira Botelho, na pessoa da sua presidente, Sra. Mônica Pérez Botelho, que nos oferece o necessário apoio logístico; a todos os fornecedores e colaboradores que empenharam o melhor de seus talentos, habilidades e boa vontade a fim de que idéias e projetos tornassem realidade. realidade; a Secretaria de Educação de Leopoldina e a SRE-Superintendência Regional de Ensino de Leopoldina pelo impecável serviço na divulgação da exposição entre as escolas das redes públicas e privadas da região e viabilizando o necessário transporte para as escolas mais distantes do nosso município.

Um agradecimento mais que devido, e muito especial, é o que desejamos fazer a todos e todas Professores/as, Diretores/as, Coordenadores/as e Supervisores/as que atenderam ao nosso convite e têm trazido seus alunos (e continuam agendando visitas para novas turmas e novas escolas) para conhecerem a exposição. O que a Casa de Leitura Lya Botelho mais deseja é que esses laços se estreitem cada vez mais e que esses sérios e dedicados profissionais da Educação aqui encontrem um ambiente estimulante onde possam desenvolver temas pertinentes às aulas por eles ministradas. Uma exposição se completa quando o/a Professor/a a utiliza e explora em benefício dos seus alunos, acrescentando a ela o seu conhecimento.

Nosso muito obrigado para todos vocês que nos acompanham em nossa página do Facebook, curtindo, contribuindo com suas opiniões, energia e estímulo para que possamos, cada vez mais e melhor, "acertar" naquilo que nossa população mais deseja e/ou necessita. A Casa de Leitura Lya Botelho é um espaço multi-cultural especialmente voltado à contribuir com a Escola na formação de novos e mais capacitados Cidadãos.

Obs.: Ainda que o vídeo aqui postado mostre apenas alguns dos muitos visitantes deste mês, gostaríamos que todos que aqui estiveram se sentissem representados. Voltem sempre!


#energisa #fojb #casadeleitura #casadeleituralyabotelho #cultura #educacao #leopoldina #mg #historia #expo #exposicao #navegadores #navegantes #navegacao #oceano #mar #caravela #rotasmaritimas #comercio #marcopolo #rotadaseda #pormaresnuncadantesnavegados #cenografia #museu #semanamuseus2016

sábado, 20 de agosto de 2016

"Por mares nunca dantes navegados": elementos cênicos I


Coragem, ousadia, ambição e belicosidade são palavras que muito bem podem resumir as qualidades e interesses que motivaram reis, rainhas e banqueiros, no final da Idade Média, a contratarem navegadores e sábios da época para empreenderem busca por rotas marítimas aos países asiáticos.

O perigo de naufrágio e o do encontro com povos hostis, além de piratas e saqueadores, obrigava que as caravelas e demais embarcações portassem canhões, talvez a mais poderosa arma de fogo conhecida na época.

Para a exposição POR MARES NUNCA DANTES NAVEGADOS - O SÉCULO DAS GRANDES NAVEGAÇÕES, o muito talentoso artista plástico leopoldinense, Luciano Baia Meneguite, criou uma perfeita réplica, em escala 1:50, de um modelo típico de canhão. O também leopoldinense,Rafael Campagna (leia-se: Marcenaria Detalhes), executou, à perfeição, o modelo do carrinho onde esse tipo de arma era transportada, para dentro e fora das embarcações.

Ao visitar a Casa de Leitura Lya Maria Müller Botelho é importante que o visitante saiba que todo o material e toda a mão de obra empregado na construção dessa exposição é inteiramente leopoldinense, adquirido de fornecedores locais. Assim, através do patrocínio recebido da ENERGISA, a FOJB-Fundação Ormeo Junqueira Botelho, à qual a Casa de Leitura pertence, cumpre o seu papel de incentivadora do desenvolvimento de uma Economia Criativa local, capacitando e utilizando produtos e serviços do nosso município.

Através de Luciano Baía Meneghite e Rafael Campagna, cumprimentamos e agradecemos o talento e a capacidade de todos os nossos fornecedores.

Serviço:

Horários da exposição: de segunda a sexta-feira, das 8:00 às 11:30 horas e das 13:00 às 17:00 horas e aos sábados, das 8:00 às 11:30 horas (exceto feriados e domingos). Entrada gratuita.

Endereço: R. José Peres, 5 (Centro) – Leopoldina-MG

Escolas e demais instituições: favor agendar antecipadamente através do e-mail  casadeleitura@gmail.com

Patrocínio: ENERGISA 

Apoio: FOJB-Fundação Ormeo Junqueira Botelho, Secretaria Municipal de Educação de Leopoldina, SRE-Superintendência Regional de Ensino de Leopoldina, Sandra Fuganti Interiores, Clysia Garcia Cid.

Realização: Casa de Leitura Lya Maria Muller Botelho

sexta-feira, 19 de agosto de 2016

Sugestão para sábado: um passeio cultural no centro de Leopoldina-MG


O final de semana está chegando e você também pode aproveitar o sábado pela manhã para visitar a exposição POR MARES NUNCA DANTES NAVEGADOS - O SÉCULO DAS GRANDES NAVEGAÇÕES aqui na Casa de Leitura Lya Botelho (R. José Peres, 4, ao lado da Praça Félix Martins, em Leopoldina-MG).

Essa é uma exposição que busca traduzir um pouco das glórias e sacrifícios dos navegantes portugueses e italianos que entre os séculos XV e XVI enfrentaram perigos e o desconhecido, aventurando-se por mares e oceanos ainda não explorados na busca do estabelecimento de importantes rotas comerciais entre o Ocidente e o Oriente.

A exposição, patrocinada pela ENERGISA e com o apoio da FOJB-Fundação Ormeo Junqueira Botelho, também reserva uma sala para contar um pouco sobre a Rota da Seda e um dos seus mais importantes exploradores: Marco Polo.

A Casa de Leitura Lya Botelho recomenda que você também aproveite para visitar o Centro Cultural Mauro de Almeida, no prédio do antigo Fórum de Leopoldina. Nesse local você poderá apreciar e conhecer mais da nossa cidade, visitando o Memorial do Esporte Leopoldinense e o Memorial da Formação de Leopoldina. Ambos espaços são muito atraentes e contém um grande número de informações e curiosidades sobre esta que já foi considerada a "Atenas da Zona da Mata".

Também no Centro Cultural Mauro de Almeida, você poderá apreciar a exposição do artista tebano Elias Fajardo que, com técnica mista, elabora telas de grande beleza com paisagens da nossa cidade, seus distritos e região.

Aproveite, então, o sábado para visitar esses espaços culturais tão importantes, adquirir mais conhecimento, o que irá lhe permitir uma maior reflexão sobre a História e o valor do Patrimônio Material e Imaterial, e, naturalmente, "caçar Pokémon" utilizando o Wi-Fi livre instalado na bela e renovada Praça Félix Martins.

Bom fim de semana!

#energisa #casadeleitura #casadeleituralyabotelho #historia #exposicao, #centrocultural #leopoldina #cultura #educacao #pormaresnuncadantesnavegados #expo #sabado +casadeleitura lya maria müller botelho

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

"A Rota da Seda": Marco Polo na exposição POR MARES NUNCA DANTES NAVEGADOS

video


Há mais de 2.000 anos nômades, viajantes, comerciantes iniciaram um intercâmbio econômico e cultural entre o Ocidente e o Oriente e um dos mais famosos ícones desse movimento é o veneziano Marco Polo. Por mais de 2 décadas viveu na corte de Kublai Khan, o neto do temido Gengis Khan, mongol cujo império abrangia praticamente toda a Asia, tendo de lá voltado rico, tanto de bens preciosos como de histórias. 

Seu livro, "O Livro das Maravilhas", tido como pura ficção, provou-se, com o tempo, ser um relato muito menos fantasioso do que anteriormente pensava-se, mas um registro bastante preciso de etnias, idiomas, limites geográficos, saberes e produtos dos lugares por Marco Polo visitados enquanto embaixador da corte do Khan.

Esse comerciante-explorador-cronista italiano tem um espaço próprio no ambiente da exposição "POR MARES NUNCA DANTES NAVEGADOS - O SÉCULO DAS NAVEGAÇÕES", que continua até 20 de dezembro na Casa de Leitura Lya Botelho, em Leopoldina-MG.

Serviço:

Horários da exposição: de segunda a sexta-feira, das 8:00 às 11:30h e das 13:00 às 17:00h e aos sábados, das 8:00 às 11:30 horas (exceto feriados e domingos). Entrada gratuita.

Endereço: R. José Peres, 5 (Centro) – Leopoldina-MG

Escolas e demais instituições: favor agendar antecipadamente através do e-mail  casadeleitura@gmail.com

Patrocínio: ENERGISA 

Apoio: FOJB-Fundação Ormeo Junqueira Botelho, Secretaria Municipal de Educação de Leopoldina, SRE-Superintendência Regional de Ensino de Leopoldina, Sandra Fuganti Interiores, Clysia Garcia Cid.

Realização: Casa de Leitura Lya Maria Muller Botelho

segunda-feira, 15 de agosto de 2016

"Por mares nunca dantes navegados"; uma exposição sobre a busca de novos caminhos de interação entre os povos


“Por mares nunca dantes navegados” é uma das expressões criadas pelo magistral poeta português, Luis de Camões, em seu épico “Os Lusíadas”, que narra e enaltece os feitos dos navegadores portugueses. Esse é, também, o nome da exposição que hoje, segunda-feira 8 de agosto, a Casa de Leitura Lya Botelho passa a apresentar.

Com o intuito de apresentar aos alunos das redes públicas e particulares do nosso município e região, bem como a todos os que a visitarem, essa exposição ilustra, de forma bastante lúdica, 6 personagens, entre portugueses e italianos, responsáveis pelo que passou a se chamar de “O Século das Grandes Navegações”, aquele período da história, entre os séculos XV e XVI, e que marca a passagem da época medieval para a Idade Moderna.

Uma exposição temática, como essa, num espaço que não é um museu, mas um espaço destinado à exposições, é uma ilustração legendada, cuja finalidade é despertar no observador-visitante, o interesse pelo assunto e o desejo de, através de suas pesquisas, aprofundar-se mais no tema. Em hipótese alguma é um “recorte” completo, definitivo, mas um esboço do muito que se pode obter sobre aquele determinado assunto.

Neste sétimo ano de existência da Casa de Leitura Lya Botelho, completados na data de ontem, 7 de agosto, a FOJB-Fundação Ormeo Junqueira Botelho têm o prazer de retribuir ao público que frequenta esse seu espaço em Leopoldina, com mais um evento de caráter educativo e cultural que visa contar um pouco da força do espírito humano e da nossa necessidade de expandirmos nossos horizontes, criarmos intercâmbios com outras terras, raças, tradições e saberes e, nesse processo nos reconhecermos parte integrante da Humanidade.

Inteiramente patrocinada pela ENERGISA, a exposição “Por mares nunca dantes navegados – o século das Grandes Navegações” foi inteiramente realizada com mão de obra local e com produtos e serviços adquiridos dentro da nossa cidade no intuito de valorizar talentos e habilidades locais além de promover o desenvolvimento de uma economia criativa no nosso município.

Convidamos a todos que venham visitar a exposição que a Casa de Leitura Lya Botelho passa a apresentar e que prestigiem, também, todos os demais espaços culturais da nossa cidade.

Serviço:

Horários da exposição: de segunda a sexta-feira, das 8:00 às 11:30h e das 13:00 às 17:00h e aos sábados, das 8:00 às 11:30h (exceto feriados). Entrada gratuita.

Endereço: R. José Peres, 5 (Centro) – Leopoldina-MG


Escolas e demais instituições: favor agendar antecipadamente através do e-mail  casadeleitura@gmail.com

domingo, 14 de agosto de 2016

Exposição "Por mares nunca dantes navegados": agradecimentos


Estamos no 5º dia desde a abertura da exposição "Por mares nunca dantes navegados - o século das Grandes Navegações" e já contabilizamos mais de 800 visitantes! A Casa de Leitura Lya Maria Muller Botelho não só fica muito feliz com a receptividade dessa nossa nova produção, mas deseja, também, compartilhar os méritos da mesma com todos aqueles que colaboraram, de uma forma ou outra, para que ela saísse do papel.

Segue, então, uma lista dos nossos principais amigos-fornecedores, pessoas que não apenas colaboraram na "construção" desta exposição, mas empenharam ao máximo seus esforços e talentos para que ela alcançasse o nível de qualidade pretendido:

Marcenaria: Marcenaria Detalhes (Yonekichi Carolina Itida e Licinio Fernandes)
Arte-finalização, plotagens e adesivagens: PR Comunicação Visual (Priscila Rubens Ruback)
Pintura: Marcelo Gonçalves de Souza
Elétrica: Carlos Wendel
Aplicação de papel: Randall Resende
Figurino: D. Josélia
Manequins: Zuia Machado
Saris indianos: Clysia Garcia Cid
Réplica de canhão em técnica mista: Luciano Baía Meneghite
Objetos orientais: Sandra Fuganti
Ferragens antigas: Marcia Vaz Barbosa
Confecção de réplicas e acabamentos: Alice Helena e Angélica
Apoio: José Carlos e Evaldo

Estendemos nossos agradecimentos às equipes dos profissionais mencionados e aos profissionais da imprensa, pela divulgação graciosamente oferecida: Lucilia PaixãoLuiz Otavio Meneghite Meneghite,Julio Cesar CabralMarcos PaixãoArnaldo Spindola e José Augusto Cabral.
Nosso muito obrigado à Secretaria Municipal de Educação, à Superintendência Regional de Ensino de Leopoldina, à Secretaria de Cultura, Esportes Lazer e Turismo do Município, às Diretoras, Coordenadoras, Supervisoras e Professoras/es das redes municipal, estadual e particular de Leopoldina e região, e a todos os amigos que nos apoiam e divulgam através dos seus espaços e recursos midiáticos.
À ENERGISA, cujo patrocínio torna possível a realização de todas as nossas ações, e à FOJB-Fundação Ormeo Junqueira Botelho, na pessoa da sua presidente, Sra. Mônica Pérez Botelho, os nossos mais profundos e sinceros agradecimentos.
Serviço:
O horário de funcionamento:

De segunda a sexta-feira, das 8:00 às 11:30h e das 13:00 às 17:00h
Aos sábados, das 8:00 às 11:30h
Não funcionamos aos Domingos e Feriados
Endereço: Rua José Peres, 4 (ao lado da Praça Félix Martins), em Leopoldina-MG

segunda-feira, 1 de agosto de 2016

Convite a todos os Educadores para visitarem a exposição "Por mares nunca dantes navegados"



Prezadas Diretoras, Coordenadoras, Supervisoras e Professoras:

Pelo terceiro ano consecutivo a Casa de Leitura Lya Botelho, com o patrocínio da ENERGISA e o apoio da FOJB-Fundação Ormeo Junqueira Botelho, têm a satisfação de apresentar ao público em geral e, em especial aos alunos da rede de ensino, pública e privada, uma exposição temática. Desta vez, a saga dos Navegadores dos Séculos XV e XVI é o assunto abordado, focando, em especial, 6 personagens da maior importância para a história dos descobrimentos e demais conquistas europeias no período de transição entre a Idade Média e a Moderna.

O espaço cênico da exposição, que se denomina “POR MARES NUNCA DANTES NAVEGADOS – O SÉCULO DAS GRANDES NAVEGAÇÕES”, é composta de 3 ambientes: “O porão da Caravela”, “Os Navegadores” e “O Livro das Maravilhas”. Cada espaço faz, como o próprio nome o diz, referência a um tópico (entre tantos outros) da saga dos descobrimentos e estabelecimento de rotas comerciais e intercâmbios culturais pelo Mundo.

O PORÃO DA CARAVELA: localiza-se no Hall de Entrada da Casa de Leitura Lya Botelho e é local de passagem obrigatória. Nele disponibilizamos informações básicas sobre a vida a bordo das Caravelas, Naus e Galeões e sobre os instrumentos náuticos utilizados na época.

OS NAVEGADORES: situa-se na sala à direita de quem entra na Casa de Leitura e é um “memorial” às figuras de Bartolomeu Dias, Fernão de Magalhães, Vasco da Gama, Américo Vespúcio, Cristóvão Colombo e Pedro Álvares Cabral. Privilegiamos estes, entre tantos outros, pela representatividade e contribuição que tiveram, inclusive, na construção da história do nosso continente e país. Numa linguagem clara e bastante accessível, todos poderão encontrar dados básicos sobre esses importantes navegadores e seus feitos principais.

O LIVRO DAS MARAVILHAS: localizado na sala à esquerda de quem entra na Casa de Leitura, é um ambiente inteiramente dedicado a Marco Polo, viajante e comerciante veneziano cujas narrativas sobre as suas experiências, intensamente vividas em mais de 2 décadas na corte do imperador mongol Kublai Khan, no século XIV, resultaram num livro que “incendiou” a imaginação de gerações de futuros aventureiros e, é claro, navegantes.

Roteiro sugerido: para que os assuntos não fiquem dispersos propomos visite-se primeiro o Hall, em seguida a Sala dos Navegadores e, por último, a Sala sobre O Livro das Maravilhas.

Como sempre, cabe firmar que o intuito de exposições como essa por nós inteiramente pensadas e realizadas, visam tão somente servir de estímulo aos alunos e demais visitantes a se interessarem e aprofundarem seus conhecimentos, através de outras fontes, nos temas que propomos. Gostaríamos muito que os Professores se “apropriassem” das exposições, desenvolvendo-as em suas muitas possibilidades dentro da sala de aula, com os critérios didáticos e pedagógicos pertinentes mais adequados.
Uma vez mais, deixamos para os Professores que acompanharem suas turmas, a missão de apresentarem a exposição, pois são eles, Professores, os maiores conhecedores dos assuntos abordados, do nível de conhecimento dos seus alunos, além da forma de comunicação e empatia previamente estabelecidas com os mesmos.

Uma exposição não esgota um assunto, ou substitui a leitura de um livro acadêmico ou, mesmo, uma reflexão proposta pelo Professor. Deveria ser vista como um espaço onde a informação é traduzida de maneira lúdica e cujo impacto cenográfico possa remeter o visitante a uma experiência pessoal instigante. É essa a nossa intenção, aqui na Casa de Leitura Lya Botelho, ao produzirmos mostras e exposições, recriadas sobre esses recortes históricos.

Lembramos que já estamos aceitando agendamentos para grupos de estudantes de todos os níveis e que, como de hábito, devem ser feitos exclusivamente pelo e-mail: casadeleitura@gmail.com .
O horário de funcionamento é o mesmo da Casa de Leitura Lya Botelho:

De segunda a sexta-feira, das 8:00 às 11:30h e das 13:00 às 17:00h
Aos sábados, das 8:00 às 11:30h
Não funcionamos aos Domingos e Feriados
Endereço: Rua José Peres, 4 (ao lado da Praça Félix Martins), em Leopoldina-MG

Agradecemos a todas e todos que têm nos prestigiado com suas presenças nestes anos e damos boas vindas aos demais, na esperança, sempre, de efetiva e beneficamente estreitarmos os laços entre a Escola e a Casa de Leitura Lya Botelho.


domingo, 24 de julho de 2016

Em agosto: Exposição "Por mares nunca dantes navegados", na Casa de Leitura Lya Botelho

video

Neste ano de 2016 a Casa de Leitura Lya Botelho apresenta a saga da conquista marítima empreendida por destemidos e ambiciosos navegadores que, arriscando a própria vida, lançaram-se ao mar, singrando oceanos desconhecidos e temidos, em frágeis e pequenas embarcações em busca de novas terras, riquezas, fama e, naturalmente, a satisfação da curiosidade e à procura de  respostas frente o desconhecido.

A exposição “POR MARES NUNCA DANTES NAVEGADOS – O SÉCULO DAS GRANDES NAVEGAÇÕES” tem por objetivo fazer um panorama dos principais agentes, humanos e sociais, que aceleraram o processo transformador ocorrido na Europa dos séculos XV e XVI, quando, através das novas invenções, descobertas de novas terras, povos e costumes, do aprendizado de novas técnicas de construção naval e de navegação e o estabelecimento de novas e promissoras rotas comerciais, o conhecimento do Mundo e uma nova forma de pensamento colocaram um fim ao obscurantismo da Idade Média e possibilitaram o alvorecer dos tempos modernos.

Usando como ponto de partida o comerciante, viajante e cronista veneziano Marco Polo e seu livro “O Livro de Messer Marco Polo, cidadão de Veneza, chamado Millione, onde se contam as maravilhas do Mundo” e seus pitorescos e muitas vezes fantasiosos relatos sobre seus muitos anos vividos na Corte de Kublai Khan, a exposição busca mostrar a importância da atividade comercial e o desejo natural da humanidade em expandir os seus próprios limites, como motivação para outras e novas conquistas em todas as áreas do saber, do conhecimento humano, sejam elas nas Ciências, nas Artes, na Filosofia.

Acreditando que uma exposição nada mais é do que uma “obra em contínua construção”, esperamos que nosso público, de todas as idades e grau de conhecimento, possa usufruir da visita e, muito além disso, que a exposição seja um convite para que ele desperte e aprofunde o seu conhecimento sobre todas as possibilidades e desdobramentos que o tema oferece. Uma exposição não deveria encerrar-se em si mesma, mas ser um trampolim para novas buscas, novas pesquisas, novos aprendizados que o visitante, o explorador de hoje, possa buscar e pesquisar por si mesmo, as suas áreas de interesse.

Com esta exposição a ENERGISA, nossa Patrocinadora Master, e a FOJB-Fundação Ormeo Junqueira Botelho vêm, uma vez mais, presentear a população da nossa cidade e região com mais um evento de cunho educacional e cultural. “Iluminar os caminhos do saber” é mais do que uma frase, mas um compromisso da ENERGISA no apoio e criação de possibilidades de reflexão para os atuais “viajantes e descobridores”, aqueles que serão os futuros  cientistas, literatos, pesquisadores, artistas, pensadores, técnicos, especialistas, etc, os exploradores, enfim, do amanhã.


Assunto: Exposição “Por mares nunca dantes navegados – o século das Grandes Navegações”
Local: Casa de Leitura Lya Botelho / Leopoldina-MG

Data: de 8 de agosto a 20 de dezembro de 2016
Horário: de segunda à sexta-feira, das 8:00 às 11:30h e das 13:00 às 17:00h / aos sábados, das 8:00 às 11:30h / Não abrimos aos Domingos e Feriados.
Entrada Franca